Uso de Tags/Taxonomia e SEO

De acordo à Wikipedia, taxonomia é “é a disciplina acadêmica que define os grupos de organismos biológicos, com base em características comuns e dá nomes a esses grupos.”

Em “internetês” é quando marcamos um conteúdo como relacionado a uma palavra-chave ( ou várias) como forma de agrupar diversos conteúdos relacionados. Você já deve ter visto por aí em vários sites de conteúdo (ou não) algo como categorias ou tags relacionadas:

 

Tag no blog do Menon (uol) exemplo-de-taxonomia-brasilpost

Elas são muito interessantes por não estarem amaradas à estrutura “formal” de navegação e categorias do site, por exemplo “home > Economia > Indústria Automotiva” ou “home > esportes > blogs .> Menon”. O uso da taxonomia permite que quando o usuário clique neste link, ele vá para uma página onde todos textos marcados com esta tag estará agrupado – e vai poder se aprofundar mais no assunto.

Ou seja, do ponto de vista de usabilidade e praticidade, esta é uma técnica muito boa.

Até o Twitter e o Facebook usam esse tipo de técnica, mas através do que eles chamam de #hastags:

 

uso-de-tag-twitter

 

 

Por que o uso de tags PODE ser prejudicial em SEO?

Veja bem, eu disse “pode”, quero deixar isto muito claro, porque ela também traz benefícios.

Num projeto de SEO, ela traz como benefício a possibilidade de gerar páginas com palavras-chave diferentes, mas que também possuem uma quantidade de buscas relevantes, além de que estas páginas provavelmente terão uma uma relância maior em relação a esta palavra-chave porque vão haver diversas variantes dela. Por exemplo, se eu tiver uma página da tag “ANFAVEA”, é muito provável que os textos, artigos ou posts, tragam várias vezes a palavra “ANFAVEA”, seja nos títulos dos posts ou nas descrições ou excertos deles, certo?

E isto é muito bom!

 

Porém, se a taxonomia (ou marcação dos textos com tags) não for usada com cautela e alinhada a uma estratégia, ela pode certos problemas. Por exemplo

Imagine uma redação que tem pelo menos 20 profissionais. Cada um começa a criar tags que acredita ser relacionadas ao conteúdo. O pessoal vai começar a criar e usar tags muito semelhantes ou sem critério que vai começar a causar problemas como:

* duplicação de conteúdo: uso de palavras no singular e plural;

* erros de grafia

* termos muito genéricos ou, ao contrário, muito específicos

* diluição da relevância dos links gerados: a falta de foco de tags pode fazer com que sejam gerados links para páginas não relevantes, perdendo a eficácia da sua estratégia de linkagem interna.

 

O que fazer?

Existem duas maneiras de se trabalhar com as Tags dentro de uma estratégia de SEO:

Bloquear

É o jeito mais fácil e não requer muito esforço. Use o robots.txt e você já não vai mais ter dor de cabeça.

Treinamento e definir foco e estratégia

Você pode treinar sua equipe a alinhar a geração de Tags de acordo aos objetivos de visibilidade do site e focar nas palavras-chave selecionadas que poderiam/deveriam gerar tráfego orgânico para o site.

Desta maneira, com o tempo, vai ser gerada uma biblioteca de artigos e posts relacionados que, com o tempo, vão ganhar posicionamento orgânico.

Publicado em Blog, SEO